top of page
Buscar
  • Foto do escritorJuan Pablo Culasso

Braille no século 21: linhas Braille, audiolivros e a importância do toque na leitura!

Atualizado: 6 de mai. de 2023

Olá a todos! Eu sou Juan Pablo Culasso, uma pessoa com deficiência visual de nascença, e hoje quero falar com vocês sobre como a leitura tem sido uma parte fundamental da minha vida. Quero compartilhar com vocês como o sistema Braille evoluiu e por que, apesar das novas tecnologias, a leitura em Braille ainda é uma experiência única e insubstituível para nós, cegos.


O sistema Braille, desenvolvido por Louis Braille no século 19, é a linguagem tátil que nos permite ler e escrever por meio de combinações de pontos em relevo. Desde minha infância, o Braille tem sido meu principal meio de alfabetização e acesso a informações. Embora alguns acreditem que o Braille esteja desaparecendo, na verdade ele se transformou e se adaptou às novas tecnologias.


Um exemplo disso são os visores Braille, dispositivos eletrônicos que se conectam a computadores ou dispositivos móveis e nos permitem ler textos em Braille em tempo real. Essas linhas em braile têm células compostas de pequenos pontos que sobem e descem para formar caracteres em braile, o que nos permite ler qualquer texto digitalizado. Assim, a leitura em Braille continua relevante e acessível na era digital.


O dedo do Juan passando pelo leitor braille.
Linha Braille BrailleSense

Os audiolivros são outra alternativa que ganhou popularidade nos últimos anos. Embora possam ser úteis em determinadas situações e apreciados por pessoas com ou sem deficiência visual, para nós, cegos, eles não substituem completamente a experiência da leitura em Braille. A leitura tátil nos permite ter contato direto com as palavras e é uma experiência única que não pode ser reproduzida pela audição.


Como pessoa cega, a importância do tato na leitura é fundamental. Por meio do Braille, posso tocar e sentir cada palavra, o que me permite entender o texto de uma forma mais profunda e íntima. Os audiolivros não oferecem a mesma experiência, pois não nos permitem ter esse contato direto com as palavras e as ideias expressas no texto.


Em conclusão, o sistema Braille evoluiu e se adaptou às novas tecnologias, como as linhas Braille, permitindo que a leitura tátil permaneça acessível no século XXI. Embora os audiolivros possam ser úteis em determinadas situações, eles não podem substituir a experiência única e insubstituível da leitura em Braille para pessoas cegas. A importância do toque em nossa leitura é fundamental e nos permite desfrutar da literatura e do conhecimento de uma forma que vai além do que os audiolivros podem oferecer.


Se desejar obter mais informações ou contratar um consultor especializado em inclusão e acessibilidade, não hesite em entrar em contato. Juntos, podemos tornar realidade o sonho de um mundo mais acessível e inclusivo.

Comments


bottom of page